Junho de dois mil e dezessete

por jaderstn

O mês em que me desiludi uma vez mais com Murakami (Kafka à beira-mar) e me deslumbrei com Kawabata (A casa das belas adormecidas).

Em que mergulhei ainda mais no oriente com The wailing, um dos melhores filmes de horror dos últimos anos, e me emocionei com I am not your negro, apesar dos pesares.

O mês que me apresentou Mr. Robot e que encerrou The night manager, duas séries boas demais para permanecerem esquecidas.

O último mês do Café Clube de Leitura do jornal O Povo, coordenado por mim e pela Marina Solon, com um debate divertido sobre Nove noites, a melhor coisa que Bernardo Carvalho já escreveu.

No último dia do mês, uma surpresa. Finalmente o Spotify disponibilizou toda a discografia do Beach House, inclusive um disco de raros e b-sides lançado há um mês.

Anúncios